Massala

O Massala Diversidade Cultural, como ideologia primária, foi fundado pelas bailarinas e produtoras Shaide Halim e Ana Fonseca, em novembro de 2006. Observaram que a dança era uma arte, mesmo nos locais onde se poderia vê-la a preços populares, ou mesmo gratuitamente, distante da maioria da população. Infelizmente, o “consumir” arte, ou seja, freqüentar assiduamente espetáculos de teatro e dança era um costume de uma “elite cultural”, e que as informações sobre os trabalhos nesta área não chegavam facilmente à população. Outra razão que determinou o surgimento do Massala foi a insatisfação com o mercado de show de dança, que privilegiavam um padrão estético e etário, que não condizia, às vezes, com talento e paixão pela dança. Tendo em vista estes propósitos, a idéia foi de aproximar a arte da população, levando-a em locais de circulação mais popular, no caso bares e restaurantes de São Paulo. O projeto inicialmente manteve o seu nome atrelado ao local onde fazia o seu evento. O primeiro nome do projeto foi Shouk em Dança, já que se apresentava no restaurante Shouk, na região dos Jardins. O Shouk em Dança teve a sua estréia no dia 14/01/2007, permanecendo no local até dia 25/03 do mesmo ano. Em 01/04/2007, o projeto mudou de local, e conseqüentemente, de nome. O projeto foi para o Buda Bar, e passou a chamar Buda em Dança. Com o Buda em Dança, a organização do projeto começou a perceber a real necessidade de se criar uma identidade, sem ficar atrelado ao estabelecimento que dava espaço às apresentações. O projeto tinha que ser independente, mesmo porque, não se tinha a garantia de ficar sempre no mesmo local. Foi então que um novo nome foi pensado pela organização, que decidiu por MASSALA. Massala é o nome de um tempero indiano, mas também quer dizer “mistura”, que é a proposta do projeto desde seu início: levar diversidade (a princípio de dança) ao acesso fácil da população. Com o decorrer do tempo, alguns membros da organização começaram a perceber que o projeto, inicialmente focado em Dança, havia ficado artisticamente muito restrito. Era necessária uma diversidade artística, que propiciaria muito mais conhecimento ao público e enriquecimento ao show. Enquanto uma parte da organização queria realmente ampliar a diversidade artística, uma outra parte queria ficar mais restrita a dança. Foram acrescentados o Teatro e a Música como atrações fixas do projeto e ele passou a se chamar Massala Diversidade Cultural. Devido a outros projetos, Shaide Halim sai da organização do Massala, e em novembro do ano de 2007, entram na organização, além de Ana Fonseca, Babi Almeida e Vânia Psique. Novamente, o Massala dá uma nova repaginada, trazendo mais diversidade e mais culturas diferentes agregadas ao projeto. Ao começo de 2008, o Buda fecha suas portas, fazendo com que o Projeto migre para o Boulevard Bar. Nessa mesma época, Vânia deixa a organização do mesmo, por problemas de saúde. Em julho de 2008, Babi deixa a organização por outros projetos e é agregado à nova organização Atílio Nory. Em 2009, o Massala modifica o seu foco, trabalhando com produção de espetáculos de todas as formas de arte, visando a propagação e a difusão da cultura brasileira entre os próprios brasileiros e com intuitos que levá-los para fora do Brasil também. Se profissionaliza, transformando-se em Produtora Cultural, e trabalhando não só com a produção, mas com educação, trazendo as formas de arte umas mais próximas da outra, propondo novamente a mistura de artes, mas dessa vez de forma bem mais ampla, abrangendo uma gama artística muito maior. Hoje o Massala Diversidade Cultural possui os seguintes sócios-diretores: Ana Fonseca (direção geral, produção cultural, revisão), Atilio Nory (marketing),Fabíola Ribeiro (assessoria de imprensa), Rita Cruz (produção literária, revisão), Fabíola Sevilha (captação de recursos e ageciamento) e Tamy de Paula (coordenação Massala Recife). Entre os principais projetos, constam o musical Afro Hip-Hop Rimas de Zumbi, com o pocket show de estréia para o Dia da Consciência Negra (20/11), as 15:00, na Casa das Rosas; o projeto musical “Casa di Noel Rosa”, em parceria com a banca Casa di Caboclo, o evento “Hip Hop Café”, a Cia. Vivá de Dança Étnica Contemporânea, dirigida por Ana Fonseca e Priscila Valderrama, e “Prato do Dia: Pretume”, em parceria com o escritor Cuti e o MC Raphão Alaafin. Nosso casting conta com mais variados artistas, de todos os segmentos culturais.

Be the first to start a conversation

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: