Saiba quais são os artistas que levantarão o público na Festa de Lançamento da Rádio Sessions Brasil!

Posted on Novembro 23, 2011

1



Sexta-feira tá chegando, e como pudemos perceber ao longo das semanas, pelas redes sociais ou mesmo pessoalmente, as pessoas estão bem a fim de comparecer na Festa de Lançamento da Rádio Sessions Brasil (*-*).

Como planejamos um line up bem diversificado, algumas pessoas não conhecem todos os artistas. Pudera: num mesmo evento reunir poesia, afro-beat e hip-hop de qualidade não é um trabalho nada fácil. Portanto, nós vamos aqui apresentar (para quem não conhece), ou reforçar (para quem já conhece) quem são os artistas que irão se apresentar no evento. Assim você já fica sabendo, ao menos um pouquinho, do que pode esperar para sexta-feira! E uma dica: NINGUÉM vai se decepcionar, com certeza!

Paulo Rams

Historiador, Educador e Poeta, Rams representa o Coletivo Perifatividade, que realiza diversas ações culturais e sociais, como o Sarau Perifatividade, na região do Fundão do Ipiranga. O “Sarau Perifatividade” teve as primeiras edições no Cingapura do Jd Climax. Atualmente, está sendo realizado na Vila das Merces (Bar do Boné), no CEU Parque Bristol e em diversas escolas da região. Também em 2010, na ONG JAMAC (JD Miriam Arte Clube), Paulo desenvolveu a técnica de stêncil, posteriormente se tornando coordenador de oficinas da mesma arte e de grafite para o Perifatividade.

Em 2011, o Coletivo é contemplado com o projeto “Coletivo Perifatividade” pelo Programa de Iniciativas Culturais da Secretaria Municipal de Cultura (VAI), e organiza-se de forma profissional, levando à Fundação da Associação Comunitária e Cultural Fundão do Ipiranga, onde Paulo assumiu o cargo de diretor comunitário. Participa de reuniões com jovens em liberdade assistida, participou da Conferência de Assistência Social do Ipiranga, organizando também a Conferência da Criança e do Adolescente.

Paulo participou como poeta do livro “Antologias”, uma coletânea de poemas produzido pelo Sarau da Brasa – SP, e se prepara para o lançamento de seu primeiro livro, além do lançamento do livro “Antologia – Coletivo Perifatividade” e do CD do mesmo, que será lançado sábado, dia 26/11, no Sarau Perifatividade, no Bar do Boné.

Apresentará na Rádio Sessions o Circula Sarau, que percorre os Saraus da Cidade de São Paulo, trocando ideia com organizadores, poetas e público, e mostrando as melhores poesias realizadas em cada um. De periodicidade quinzenal, tem informações gerais sobre cada Sarau e visitas, gravando ao sabor do momento.

 Eduardo Brechó

Eduardo Mazarão ainda era uma criança quando começou a “tocar na madrugada” em Ribeirão Preto.

 Da família da mãe, veio o sobrenome e o título de sebófilo, conhecidos na cidade pelo comércio de segunda mão. Aprendeu o gosto pelas coisas antigas, empoeiradas e boas. Ao sair do colégio abriu uma loja de vinis, ponto de partida para a coleção particular de mais de 4.000 discos, que contém desde peças regionais do começo do século até Stockhausen, mas se foca, sobretudo, na música de matriz africana. Todos aqueles sons que dormiam nas prateleiras foram sugados pela cabeça do jovem Eduardo, que se divertia estabelecendo conexões entre George Clinton e Clementina de Jesus. Antes que sua cabeça explodisse, deu à luz o DJ Eduardo Brechó e a inúmeros projetos ligados a sua pesquisa: num deles, produziu e apresentou um programa diário na mais expressiva rádio comunitário da cidade, a Periferia Norte. Nesse programa, Brechó tocava a música sampleada pelos artistas de rap de todas as gerações.  Também escreveu sobre o tema em sites e zines.

     Nas pistas, a trajetória foi rápida e clássica: começou tocando em festinhas, logo passou a tocar em algumas casas de Ribeirão Preto e a abrir shows de nomes como Paula Lima, Jorge Ben e Fernanda Abreu. É integrante do Coletivo TUTU de djs, reconhecido Fenômeno de  credibilidade e longevidade no interior que completou 5 anos em dezembro de 2007, realizando uma festa por mês pelo menos sempre com casa cheia e música preta diferenciada. Por lá já tocaram com muito gosto Dj Pogo, vencedor do DMC em Londres, Dj Kljay e muitos mais.

    Mudar-se para São Paulo significou aproximar-se das legendárias lojas de disco das Galerias do Centro, berço de movimentos musicais importantes em São Paulo como o Samba-Rock e o RAP. Foi ali que conheceu o DJ Tony Hits, um dos principais divulgadores da música Black, que veio a tornar-se seu parceiro na festa Balacuba! atualmente um dos eventos musicais mais interessantes da cidade. A festa, definida pela força da influência dos ritmos da África Ocidental na música do mundo todo, esquenta as noites do centro de São Paulo há um ano e traz sempre um convidado incrementado para enriquecer a Orquestra Invisível de Balacuba! Brechó foi o Dj convidado junto com KLJay para animar a festa do dia da Consciência Negra de 2007 na praça da Sé, onde dividiu palco com Ilê Ayiê, Sandra de Sá, MV Bill, Rappin Hood, Fabiana Cozza e Martinho da Vila num evento que reuniu mais de 20 mil pessoas.

    No início de 2008, Brechó fez sua primeira turnê na Europa, apresentando-se em casas de Paris e Londres. No continente dos antigos colonizadores teve contato com as comunidades africanas imigrantes e comprou discos, muitos discos. Agora se dedica ao projeto Phono em que convida artistas, muitas vezes sem experiência como DJ mas ligados à cultura do disco, para discotecar a vontade.

    De Eduardo Brechó poderia se dizer ainda que cursou faculdades de arquitetura e multimeios, produziu programas de rádio e curtas-metragens, está indo pra Nigéria, toca trompete e trombone e não nega a sua fé. Porém, o que importa de fato é que desde as madrugadas da infância Brechó se consagra à música. Samba, RAP, soul, jazz, afro-latinidades, música de terreiro, pop africano, e até mesmo os discursos inflamados de Glauber Rocha e Gill Scott-Heron, tudo é matéria prima para as analogias improváveis que estabelece em suas pick-ups. As músicas que saem das mãos de Brechó contam histórias novas e antigas, para um público contagiado pelo interesse, de corpos que pulsam ao som do vinil no famoso transe da “gira 33 e 1/3 – a nossa pista é a nossa roda”, como define o próprio DJ.

Raphão Alaafin

Negro,nascido em 1984, desde o inicio de sua consciência esteve sempre atento ao que era lançado no Hip Hop. Começou a escrever rimas aos 12 anos, passando a encarar as criações com seriedade a partir de 1999, data de formação de seu primeiro grupo, que não chegou a ter nome, tão pouco apresentações. Essa primeira experiência durou um ano e chegou ao fim devido à falta de informação e maturidade. O retorno foi marcado pela militância no Hip Hop e a criação do grupo Manifesto Ilícito, que inicialmente contava com a participação de KK, e em seguida de Mara Onijá e Rodrigo. Como representante do grupo, Raphão participava do Fórum Paulista de Hip Hop, do Fórum Nacional de Hip Hop, e do MHHOB (Movimento Hip Hop organizado brasileiro), por influência de Mara Onijá e Preto Ghóez, mas as longas jornadas de trabalho às quais sempre esteve submetido o impedia de se dedicar com mais afinco à militância no Hip Hop. A organização de eventos e festivais também é parte da sua experiência. Podemos citar nesse sentido o Festival pela Derrota do Imperialismo no Iraque, o Hip Hop ocupa a USP (em apoio à greve dos trabalhadores dessa universidade) e o Festival contra as Demissões (da Volks e da GM) no ABC.
A gestão da Casa de Cultura e Política de Santo André também foi um marco importante em sua trajetória, trazendo experiência na organização de eventos, cursos, debates, oficinas, e também o DIA DA CABEÇA PRETA, atividade periódica que reúne importantes nomes da cultura negra e do movimento negro. Ainda no ABC, em parceria com Robson Dio organizou várias festas  de Rap.
Atualmente Raphão participa do grupo Estimulamentes, da Banda Uafro, do projeto de Jazz e Rap Conde Favela, da Banca Audácia que o acompanha nos shows, e trabalhou no seu primeiro CD solo,“AMOSTRA”. Além das rimas, Raphão produz algumas bases para os projetos dos quais participa e para outros grupos e parceiros. Sua música de trabalho “Futebol na Quebrada é Racha”, é uma das músicas mais pedidas pelos ouvintes no principal programa de rádio do movimento Hip-Hop, o “Espaço Rap’, da Rádio 105 FM. Raphão em 2011, participou do programa “Manos e Minas”, da TV Cultura, que aborda exclusivamente o Universo Hip-Hop na TV aberta. Também lançou várias músicas, como “Rap Sim, Rap Não”; “Tá Mentindo Tindo Tindo” em parceria com James Bantu e “Abastecendo os Deejays”. É diretor musical, juntamente com Base MC, do projeto “Mapeamentos: Hip-Hop por São Paulo”, contemplado pelo Programa de Valorização de Iniciativas Culturais (VAI), da Secretaria Municipal de Cultura, além de diretor musical da Rádio Sessions Brasil.

Primeira Função

Foto: Jess Penido

Em 2004, nasceu um grupo com uma nova proposta musical no cenário do Rap… “Primeira Função”.

       ● 2006

– Show Na Galeria Olido Central Acústica Microfone Aberto.

       ● 2007

 – Show com o Primeira Função na festa Zoeira Hip Hop no Club Inferno produzido por Elza Cohen. (Abertura do Show de Marcelo D2).

 – Show na Galeria Olido organizado pela Pachol’s Familia.

        ● 2008

 – Virada Cultural com o Grupo Sinhô Preto Velho na Vila Madalena.

 – Livraria da Esquina.

 – Festa Vozes Negras no Café Aurora produzido por PPMP Produções (Poder Para Mulher Preta).

 – Hip Hop em Ação, na Casa do Hip Hop de Diadema.

 – Zoeira Hip Hop, no Hole Club produzido por Elza Cohen.

       ● 2009

 – Apresentação na 3ª edição da Festa P.A.R. – “Por Amor ao Rap” produzido por Gabriela Imani.

 – Festa Beneficente Dia das Crianças – Lona Dos Machados – Jardim Leme. (produzido por Gaspar – Z’Africa Brasil).

 – Rinha dos MC’s especial Dia da Consciência Negra.

         ● 2010

 – Lançamento do seu primeiro álbum “Amanhã Seremos Ontem” no Sarajevo Club.

  – Lançamento do single “Luz Negra (Geórgia)”, com produção de DJ Nyack.

 2011

 – O grupo Primeira Função passa a ter a produção, assessoria e agenciamento integral da produtora Massala Diversidade Cultural, de propriedade da produtora cultural Ana Fonseca.

  – O grupo lança o videoclipe “O Mito da Caverna”, da Timm Arif, com direção de Iuri Stocco e edição de Base MC.

  – Primeira Função lança singles dos trabalhos-solo de seus integrantes e também do grupo. Entre os trabalhos, estão:

 “Lições”- Fahim

“Tome uma Atitude” – Akilah Jelani

“Erros e Acertos” – Base MC

“O Amor é a verdade final” – Primeira Função

“Vícios de Solidão” – Timm Arif

 Base MC estreia como apresentador do programa “Racha Coco”, na Rádio Sessions Brasil, produzido no Refugiaudio Estúdio, traz as Originais & Sampleadas, convida artistas para um bate-papo e divulga novos talentos, além de mostrar as clássicas do Rap Nacional e Internacional. A periodicidade é quinzenal, e entra ao ar nos dias de intervalo do Circula Saraus.

Vinão Alobrasil

Em seu primeiro CD, Vinão alobrasil já mostra ao mundo seu estilo de fazer a música da cultura Hip Hop, com 10 faixas e um Videoclip, que abordam desde temas urbanos ao etretenimento.

Esse artista também trabalha em oficinas de Hip Hop e como Mestre de Cerimônia em show’s e eventos que vem se divulgando indepêndente por todo Brasil.

Entre show e estúdio ataca como ator, recentemente atuou em dois “curtas” e Videoclip’s de artistas indepêndente do Hip Hop.

Vinão está com um novo trabalho, intitulado “Otrafita”, em parceria com Fhael e NP Vocal, bem recebido pelo público. Também é integrante, juntamente com Paulo Rams, do Coletivo Perifatividade, e organizador do Sarau Perifatividade na região do Ipiranga, onde, além dos eventos culturais, tem um foco social, trabalhando questões como educação e moradia. O Coletivo se prepara para o lançamento do livro “Antologia – Coletivo Perifatividade” e do CD oficial, em projeto contemplado pelo Programa de Valorização de Iniciativas Culturais (VAI), da Secretaria Municipal de Cultura.

Aos longos anos esse “MC” vem enraizando sua carreira no cénario da música Hip Hop no Brasil, inscrito na O.M.B. (51451) luta pela profissionalização do RAP no Brasil.

 

Deejay Jota

De nome Joao Jefferson, começou sua carreira em 2010, quando fazia parte de uma Radio Web chamada RADIO STUDIO BLACK, com o objetivo de trazer a cultura para o público que nao tinha acesso a todos os eventos.

Meses depois de ter visto uma performace do Dj Craze, se identificou e descobriu a arte dos toca discos, mas depois de ter presenciado scratches e algumas performaces e habilidades do Dj Erick Jay e do Dj Kl Jay que teve a certeza de que era aquilo que queria.

 Depois disso, se apresentou  na  Augusta Boulevard, e nos shows  de Dexter e Cagebe, e tambem no Lançamento da Mix tape Vileiro, de Flow Mc.

SomSujo

O selo e grupo formato por Hadee, Theo, Ganância, Amiri, FeRap, e DJ Ander Som vem fazendo a diferença na cena atual paulistana.

Com apresentações muito bem comentadas, como a festa da Hole Club, que ocorreu no dia 05/11 que cobrimos aqui, o grupo vem conquistando um importante espaço e atraindo público.

SomSujo já havia lançado a faixa “SoulSujo”, que tem participações especiais e recentemente disponibilizaram para download a mixtape “Coração Sujo“, que tem a previsão de ser lançado ainda este ano.

 
Gostou? É muita história, trabalho e qualidade né? Então só estamos esperando você – Sexta feira, dia 25/11, as 23hs, no Club Noir – Augusta,331 – Centro.

Anúncios