Imaturidade + Desrespeito = Divisão – por Renato 5150*

Posted on Agosto 17, 2011

16



Salve leitores do Massala, essa é minha estreia como colunista, então fiquei pensando sobre qual assunto abordar. Eu poderia começar com uma introdução bem quinta serie: “ Eu sou o Renato, faço Rap, dou aula de…”, achei melhor não.

Sem contar que me deram carta branca, certo? Posso mandar tomar no cú, ótimo, mas vamos ao que interessa, e se você pensa que eu não vou falar de Rap logo na primeira coluna…

Vou falar de dois aspectos meio fora de moda hoje em dia no Rap, maturidade e respeito. Eu poderia falar de gente que mente também, mas deixa pra próxima (quem achou ruim essa é por que serviu). Hoje eu tava conversando com uma amiga minha, a Camila, ae ela disse “Rap tá uma bosta, Rap tá foda”, depois fiquei pensando: na verdade, o Rap de um bom tempo pra cá mudou bastante… a sonoridade? Claro, mas já chegaremos lá. O começo de toda merda foi quando uma minoria (bom, não sei se era minoria por que era bastante gente, mas enfim) que começou a foder de vez com as festas, brigas, banheiros destruídos, etc.

Na seqüência, o que aconteceu? Donos desses estabelecimentos começaram a fechar as portas pro Rap, não importando que grupo seria, aceleramos a fita pros tempos atuais. O que temos aqui é uma cena totalmente fragmentada, gente faltando com o respeito com quem tá na cena há muito tempo, alguns da velha guarda torcendo o nariz pro novo, isso sem contar o Superstar do Youtube, tá na internet já quer ser tratado como a lenda.

Eu não to dizendo que o desrespeito não existia antes, claro que sim, mas de certa forma todo mundo tava no mesmo barco, se acotovelando aqui e ali, mas no mesmo barco. Com a popularidade do Rap mais, digamos, colorido (sem ofensa) aumentando, o que se vê é gente que há um tempo atrás não iria gostar de Rap, quando em sua maioria ele era mais sério.

Devo deixar claro que esse não é um texto contra a “nova escola”, muito pelo contrário. Atualmente temos muitos talentos e vários meios de fazer o som ser ouvido (viva a tecnologia), mas o problema são essas pessoas que eu citei lá em cima, que há um tempo atrás não estariam ouvindo Rap, dizendo que tal vertente “Não é legal por que não dá pra dançar“, minha filha, meu filho, leia bem isso: TEM GENTE QUE NÃO LIGA PRA ESSA PORRA DE DANÇAR!!!

É legal um sonzinho pra vc esquecer os problemas, um som mais pra cima, claro, mas por favor, não ache que o Rap tem que virar axé também, não é bem por aí! Tem que entender sim que tem espaço pra todo mundo, não importa se é o maluco quer usar o som pra protestar, não importa se é o maluco que quer fazer som “pra cima”, cada um tem seu estilo, sua vivência, que define o por quê da pessoa fazer o som da maneira que faz. Então maturidade e por fim respeito são necessários pra nós crescermos de verdade, não crescer da maneira que vocês ACHAM que estão crescendo, só por que o seu novo rapper preferido tá fazendo sucesso, ou “sucesso”.

Por enquanto é só, eu gostaria de agradecer a Ana pelo convite, também gostaria de agradecer as pessoas que me ajudaram nessa coluna. Até mais!

Renato 5150 é Rapper, beatmaker, integrante do coletivo Eskema Loko contato:renatojafalei@hotmail.com

O quadro “Coluna da Semana” é destinado à opinião do colunista. O site dá espaço à ela e a respeita. Os comentários são de autoria e opinião do público, não expressando a opinião do site.

Anúncios