“Quem ama o pão, quem ganha o pão” – por Jess Penido

Posted on Maio 18, 2011

1



Muito se vê em Fóruns e Sites sobre fotografia que tentam diferenciar o Fotógrafo Amador e o Profissional. De certo diferenças existem, mas seria prudente classificar o trabalho do Profissional como superior ao do Amador?

Fotógrafos Profissionais são aqueles que além de fotografar também vendem a fotografia, são, portanto empresários e a Fotografia é o seu ganha pão, sua profissão. Aos fotógrafos amadores restam só os álbuns de família ou os álbuns do Facebook. Muito simples!

Hoje a realidade não é mais tão pontual, existe também a classe de fotógrafos amadores que trabalham com outras áreas e se dividem entre a fotografia freelance e seu emprego fixo. E é uma grande parcela desse tipo de “fotógrafo freela” que com o desenvolver dos seus trabalhos acaba abandonando tudo para se entregar de peito aberto a fotografia.

Aquém dos preceitos, seria interessante abrir a mente para novos tipos de profissionais. Hoje quem quer caçar com gato, caça e caça muito bem. E que os fotógrafos profissionais de anos de mercado se sintam mais a vontade com esses novos tipos de profissionais, pois é um fenômeno que só tende a crescer.

Com a facilidade de acesso aos equipamentos fotográficos, cursos e material informativo na internet é inevitável que cada vez mais pessoas adquiram o interesse pela fotografia. Isso não quer dizer tomar o espaço dos profissionais e sim forçar o mercado a crescer, se especializar e se aprimorar cada vez mais com o surgimento de novos talentos. O fato de milhões de pessoas fotografarem não tira o mérito de quem é realmente bom e se o cliente quer pagar menos por um serviço meia-boca, tudo bem, ele não é seu perfil de cliente.

O preço do pão

Essa discussão vai ainda além quando fotógrafos profissionais se dizem prejudicados pelos amadores que cobram valores ínfimos por trabalhos, forçando às vezes o profissional a baixar seu valor para aceitar um Job.

Concorrência é por si só um mecanismo muito interessante pra quem vende e para quem compra qualquer tipo de produto ou serviço. Há aqueles que prezam pela qualidade não se importando em pagar mais caro e há aqueles que preferem pagar barato pelo maios-ou-menos. Se você é um fotografo profissional de qualidade sempre existirão clientes dispostos a pagar seu preço. Esses dias mesmo o fotógrafo Pedro Gigante falou sobre isso no Twitter “Existe um mínimo que você pode chegar. E se estiver acima da realidade do seu cliente, ele não é seu cliente! bola pra frente!”.

E nesse matagal de fotógrafos profissionais e amadores, vai se sair melhor quem realmente gostar do que faz e estudar sempre. Afinal você pode ter um olhar incrível, mas não vai saber botar em prática o que quer se não tiver técnica, e vice-e-versa. Conheço fotógrafos incríveis que fizeram algum curso e se empenharam em estudar a Fotografia e abraçá-la como profissão. Isso não quer dizer que se você comprar uma câmera DSLR e um Flash você é fotógrafo, o caminho é longo e nele tem muito trabalho, mas é explicito que gostar do que se faz e ter experiência faz toda a diferença.

Jess Penido
www.flickr.com/jesspenni
@jesspenido

*Jess Penido é fotógrafa do Massala Diversidade Cultural, Rua do Flow, NusCorre, Coisa Simples Estúdio e Radar Urbano.