Timm Arif (Primeira Função) lança single “Incertezas”

Posted on Janeiro 27, 2011

0



Timm Arif

O MC, músico e poeta Timm Arif desde garoto costumava escrever poesias em seus cadernos, e, assim como nós, a arte tomou conta de sua vida. Mesmo com as dificuldades financeiras e sociais, seguiu em frente, com a poesia e com o Rap, até hoje se estabelecer com a carreira solo e  no grupo Primeira Função.

Timm lançou já um trabalho denominado “In Promo”, finaliza o seu CD “O Mito da Caverna”, mas hoje, especialmente no nosso site, lança seu single “Incertezas”. Confira abaixo a entrevista com o MC, feita pela produtora do Massala Diversidade Cultural Ana Fonseca, e o link para download do single.

Entrevista: Timm Arif

Por Ana Fonseca

Massala Diversidade Cultural – Conte um pouco da sua carreira, seu início e evolução.

Timm Arif: Na verdade eu sou apenas mais um Thiago entre os milhares existentes em São Paulo, nasci no dia 5 de março de 1984 em Osasco, se não me engano, e, segundo minha mãe, foi numa terça-feira de carnaval chuvosa, às 15hs. Sou o mais velho de cinco irmãos, sendo que três deles são por parte de pai, o qual raramente tenho contato. Morei em muitos lugares, mas eu passei boa parte da minha infância em Carapicuíba, onde eu fiz parte do projeto musical que existia na Cohab. Lá, fiz um curso básico de percussão, e por problemas financeiros eu deixei de freqüentar o curso com apenas seis meses de presença. Assim, aos 13 anos fui parar na Zona Norte, morei com minha mãe, avó e irmã, por uns meses na casa de parentes onde tive uma experiência transformadora na minha vida. Foi na Vila Gustavo, onde eu estudava e morava que fui tendo noção de como era o Rap na prática. Ainda na adolescência, na época que conheci o Akilah-Jelani, nós criamos o grupo Dinastia Natural Autêntica, e eu já orquestrava, sem saber, um sonho que cegamente já começava a dar raiz com o plantio que a vida proporciona.  Por incrível que pareça, o ritmo de vida em São Paulo foi altamente importante para o meu envolvimento e desenvolvimento com o Rap. Eu sempre tive o costume de escrever textos, fazer poesias e até mesmo criar histórias,em que quase sempre os animais tinham o poder de falar. Meu sonho era ser jogador de futebol, mas as circunstâncias não permitiram isso. A vida pro jovem de origem pobre e de descendência Afro como eu, muitas vezes, é um conjunto de desilusões seqüenciais que não geram escolhas positivas até o início da fase adulta. Acredito que isso me levou ao Rap. Aos 18 anos, já morando no Jardim Brasil, conheci Base Mc, o Nyack e o Fahim, ambos no projeto do “Risco Ao Rabisco” em que só eles eram alunos do DJ Marco, mas que eu freqüentava quando tinha um evento diferente. A nossa convivência gerou uma música chamada “Primeira Função” em que eu dei a idéia de que deveríamos exaltar a nossa maior função na vida. Essa música se tornou uma banca, e que mais tarde com a união dos trabalhos, surgiu o grupo “Primeira Função”, que tem a formação original de Akilah jelani, Base Mc, Fahim, e eu, Timm Arif. Temos o trabalho chamado “Amanhã Seremos Ontem”, lançado em dezembro de 2009, na época em que o DJ Nyack fazia parte do grupo. Esse CD citado é o meu primeiro registro musical como Mc.

MDC – Qual é a idéia principal desse single? Qual é a mensagem que você quer transmitir em “Incertezas”?

TA: O single surgiu depois do ano de 2010 em que eu percebi que a “cena” Rap, estava associada como uma cena mesmo, onde como numa cena tudo pode ser inventado pra vivermos num eterno “faz de conta”. Os melhores discos de Rap pra mim, são “Raio X do Brasil” e “Rap É Compromisso“, e neles, como em uma enciclopédia, eu encontrei o conhecimento necessário pro Rap e descobri que eu devo ser honesto com a minha música. E que, apesar da falta de escolha que é uma coisa cultural na periferia, eu posso sim fazer as coisas por talento, não só por missão, por que se formos relacionar missões na vida, todo mundo tem uma missão e a minha é manter a minha família bem, seja fazendo rap ou não. Isso tudo faz parte das incertezas que temos na nossa correria, com vitórias e derrotas. O Rap não pode ser uma cena, ele tem que ser real, não só dizermos que somos verdadeiros e devotos à cultura. Mas fazermos por ela de fato, não pelas pessoas, mas pela cultura, para que a cultura possa fazer algo pelas pessoas futuramente.

MDC – Como é a sua relação com a poesia: de que forma ela acrescenta a sua carreira como Mc? Pretende trabalhar esse lado poético mais a fundo?

TA: O Rap é “Ritmo e Poesia” e por isso minha relação com a poesia é constante. Quando eu era mais novo, um professor de Língua Portuguesa pediu um trabalho em sala de aula, em que nós devíamos juntar o máximo de palavras rimadas, e o vencedor ganharia uma estrela como participação, eu tinha uns 10 anos e consegui juntar uma folha inteira, o problema é que o garoto que ficou em segundo lugar não gostava de mim. Enfim, na hora da saída esse garoto e os amigos dele me bateram por que eu rimei melhor que ele, mas aí eu não só percebi a minha capacidade de rimar, eu percebi que as pessoas não suportam um preto vencedor, mesmo quando essa pessoa é uma criança. Eu vivo a minha poesia a fundo, por que nem todos os manos conseguiram ver suas habilidades no decorrer da vida, principalmente por conta da falta de incentivo à auto-estima e a cultura de educação escolar, por isso me esforço ao máximo. Tive sorte…

MDC – Fale da evolução do seu trabalho solo anterior “In Promo“, para este trabalho “Incertezas”. Sentiu diferença de um processo para o outro?

TA: Em cada letra que faço, eu percebo uma transformação na levada. Vou ficando mais criterioso com as batidas, não no sentido de melhor ou pior, mas sim na visão de trilha musical, na intenção de fazê-la completa ao meu gosto. O “In Promo” é isso aí, uma busca pela trilha que defina a Zona Norte, o que sou e como é a vida dos meus amigos que vivem desse lado da cidade, e “Incertezas” é um capítulo a mais dessa trajetória, com uma pequena diferença: eu não me prendi ao tema.

MDC“O Mito Da Caverna” é o trabalho aguardado por todos que acompanham a sua carreira. Tem previsão de lançamento?

TA: “O Mito Da Caverna” será lançado em junho, e terá participações de artistas como Ninow Malokero, Primeira Função, Rincón Sapiência, Nando Vianna, Casp, Dj Will, etc…

MDC – O que os fãs podem esperar de Timm Arif para 2011?

TA: Não sou de promessas, mas para 2011 e sempre, eu só posso garantir honestidade com o meu trabalho!!

FAÇA JÁ O DOWNLOAD DO SINGLE “INCERTEZAS”, DE TIMM ARIF

http://www.4shared.com/file/TNnctKY9/Timm_Arif_Incertezas_single.html

Foto: Ênio César

Anúncios